Notícias

Transformação Digital: Empresas brasileiras adotam o discurso. Falta a prática

Que a velocidade de reação à Transformação Digital varia significativamente conforme o setor e a cultura de cada empresa nós já sabemos. As empresas brasileiras se encontram em diferentes estágios de transformação digital, com alguns setores mais avançados que outros. Mas pesquisa recente da Capgemini revela existir também uma forte variação de maturidade digital entro de um mesmo setor, como finanças, varejo e bens de consumo.

"A maioria das empresas enxerga para onde deve ir, o que deve fazer, mas muitas ainda não consegue colocar essa visão em prática", Willian Valiante, diretor de Bens de Consumo e Varejo da Capgemini no Brasil.

O estudo mostrou que, apesar de a estratégia digital estar nos planos de quase metade das companhias (46% das 42 marcas de varejo participantes da pesquisa disseram acreditar que as tecnologias digitais transformarão radicalmente a sua maneira tradicional de fazer negócios), apenas 36% delas estão investindo em transformação digital, dispondo de um roteiro detalhado, com planos e medidas ainda em estágio de desenvolvimento e refinamento.

Já as empresas do mercado financeiro estão mais avançadas, com metade das 33 instituições ouvidas (53%) afirmando que elas dispõem de uma estratégia para transformação digital e que o assunto envolve mudanças radicais em comparação à forma como atuam hoje. De um modo geral, o setor já adota amplamente serviços de autoatendimento (62%) e provê consistência em todos os canais de atendimento (59%).

Dados gerais
As tecnologias digitais são utilizadas, principalmente, para fornecer aos clientes uma experiência consistente em todos os canais, sendo essa a aplicação observada na maioria dos casos (42% das 150 empresas ouvidas, de todos os setores, afirmaram uso bem amplo ou significativo). Outras aplicações importantes são em soluções de autoatendimento (33%) e realização de ações de marketing via geolocalização (32%), mas esses percentuais variam muito entre os setores.

Continue lendo na integra.

Fonte: CIO