25MAI

A pressão do dólar na inflação



A disparada do dólar, o aumento do preço dos combustíveis e a demora na retomada no ritmo de atividade colocaram a economia no centro das preocupações do país. A greve dos caminhoneiros piorou ainda mais a percepção sobre a recuperação ao evidenciar a fragilidade logística do país. Economistas ouvidos por VEJA explicam como esses indicadores econômicos estão interligados e afetam a vida do brasileiro.

A greve dos caminhoneiros foi detonada pela insatisfação com o preço do diesel, que acumula uma alta de mais de 50% desde que a Petrobras mudou sua política de preços em julho do ano passado. Desde então, a estatal baliza seus reajustes pelo mercado internacional.

Para entender por que o diesel subiu tanto no Brasil é preciso saber o que aconteceu com o preço do petróleo. Os preços da commodity saltaram da casa dos 35 dólares o barril para quase 75 dólares em pouco mais de um ano, após a diminuição na produção de grandes exportadores, como a Arábia Saudita – que havia abarrotado o mercado com o produto anos antes.

Continue lendo.

Fonte: Veja online | Postado em: 25/05/2018