Notícias

INCA lança cartilha contra alimentos "milagrosos" e dietas que "curam" o câncer


“Suco de graviola cura o câncer”. “Carboidratos alimentam o tumor”. “Carne vermelha agrava o câncer”. A lista de recomendações de terceiros para pacientes que tratam o câncer é extensa ? e, na maioria das vezes, mentirosa.

Enfrentando um momento difícil e, muitas vezes, com a saúde mental abalada, muitos pacientes e familiares acabam acreditando cegamente nestas e em outras informações falsas compartilhadas aos montes nas redes sociais. O problema se tornou tão grande que o INCA (Instituto Nacional do Câncer) formulou a cartilha “Dietas Restritivas e Alimentos Milagrosos Durante o Tratamento do Câncer: Fique fora dessa!”.

A ideia é desmistificar muitas “fake news” e alertar a população sobre tais “alimentos milagrosos”, sobre os quais não há evidências científicas e que ainda podem atrapalhar o tratamento do paciente.

Veja também

Nutricionista alerta sobre a importância do café da manhã

Nutricionista alerta: consumir 25g de fibras por dia ajuda a reduzir o risco de doenças graves

Nutricionista alerta sobre os perigos do efeito sanfona

Segundo Gabriela Villaça, nutricionista da unidade II do INCA, informações falsas sobre curas milagrosas do câncer sempre circularam. Nos últimos três anos, porém, a nutricionista diz que houve um grande aumento do compartilhamento destas fake news ? o que vem assustando os profissionais da saúde.

“Pacientes vêm relatando que eles não comiam carboidratos porque eles ‘alimentavam’ o tumor”, disse. “Ao conversarmos com médicos de outros estados, vimos que a desinformação é generalizada no Brasil. Por isso, precisamos nos posicionar.”

A cartilha alerta também para o risco de seguir dietas restritivas, como a chamada “dieta cetogênica”. “Ela restringe carboidratos e isso pode deteriorar a saúde do paciente”, alertou a nutricionista.

A dieta é procurada por pacientes por causa do mito que diz que carboidratos “alimentam o câncer” e “anulam” os efeitos da quimioterapia. Tais conselhos, no entanto, podem contribuir para a desnutrição do paciente e, consequentemente, atrapalhar o tratamento do tumor.

“Sabemos que, quanto mais variado o consumo de frutas e grãos, melhor será a saúde de uma pessoa. O estado nutricional adequado está relacionado ao progresso do tratamento. Se o paciente deixa de comer carboidrato, ele pode perder o peso involuntariamente e ficar desnutrido”, alerta a especialista.

Confira a matéria completa.

Fonte: Huffpost Brasil