Notícias

Indicador de nível de atividade da indústria paulista sobe 0,5% em fevereiro


O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista de transformação subiu 0,5% em fevereiro em relação a janeiro deste ano, na série com ajuste sazonal. Já na série sem ajuste, o indicador apresentou avanço de 6,3% no mês e de 4,3% na comparação com fevereiro de 2018. No entanto, deve-se levar em consideração que o Carnaval deste ano aconteceu em março e, em 2018, no mês de fevereiro. A principal influência para o resultado do INA do mês, com ajuste sazonal, deveu-se pela variável total de vendas reais, que subiu 4,5%, seguida por horas trabalhadas na produção, que ficaram estáveis (0,0%) e do Nível de Utilização da Capacidade Instalada (0,3p.p). Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, (28/3), pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Para José Ricardo Roriz, 2º vice-presidente da Fiesp e do Ciesp, um maior crescimento da atividade industrial paulista só deverá ocorrer com a aprovação da reforma da Previdência e também com ações paralelas que incentivem a criação de novos empregos como, por exemplo, nos setores de infraestrutura, agronegócio e óleo e gás. Ainda de acordo com o vice-presidente da Fiesp, as exportações também têm um papel relevante na geração de empregos. “O INA continuou a exibir baixo vigor em fevereiro. Para que haja melhora do ambiente de negócios é necessária a aprovação da reforma da Previdência e também ações que fomentem a geração de empregos não apenas na indústria, mas também no setor de infraestrutura, do agronegócio, óleo e gás”, avalia.

Sensor

A pesquisa Sensor de março, também produzida pelas entidades, marcou 50 pontos, ante os 49,7 pontos de fevereiro, na leitura com ajuste sazonal, indicando estabilidade da atividade industrial paulista para o mês.

Dos indicadores que compõem o Sensor, a variável de vendas avançou 2,8 pontos, para 51,2 pontos em março. O indicador de estoques caiu 1,2 pontos ante fevereiro, marcando 46,6 pontos em março, o que indica que os estoques estão acima do nível desejado.

Para a variável que capta as condições de mercado, houve avanço de 1 ponto, passando a 50,3 pontos no mês de março. Acima dos 50,0 pontos indica expectativa de melhora das condições de mercado.

Para o indicador de emprego, houve alta 1,4 pontos em março para 50,4 pontos. Resultados acima dos 50 pontos indicam expectativa de admissão para o mês. O indicador de investimentos recuou 4,1 pontos, passando para 50,3 pontos.

Clique aqui para saber mais sobre as pesquisas

Fonte: FIESP