03MAR

Como a inteligência artificial está transformando a área de RH



A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL é responsável pela automação de processos e otimização de trabalho nas mais variadas áreas. Para as equipes de Recursos Humanos, os avanços na tecnologia se provam cada vez mais necessários para a manutenção da competitividade e a melhoria na tomada de decisões.

Apesar da AI facilitar bastante alguns processos nesta área, as empresas precisam ficar atentas para não deixar todas as decisões nas mãos de algoritmos. Toda a automação deve ser usada para melhorar e acelerar os processo de decisão, mas a inteligência emocional humana ainda é essencial no trato com pessoas.

Segundo relatório da consultoria McKinsey, a adoção de sistemas de inteligência artificial em todas as áreas das empresas, e não apenas pelo RH, pode gerar, potencialmente, uma produção econômica adicional de cerca de US$ 13 trilhões até 2030, aumentando o PIB global em cerca de 1,2% ao ano.
Veja abaixo como a inteligência artificial pode ajudar em três atribuições das áreas de RH:

1. RECRUTAR TALENTOS

Navegar por milhares de currículos parecidos para encontrar futuros talentos para a empresa sempre foi um dos trabalhos que mais consomem tempo e esforço das áreas de recursos humanos. Com a inteligência artificial, os recrutadores podem fazer análises preliminares de currículos de maneira automatizada. Isso acelera bastante o processo, uma vez que o algoritmo pode fazer todos os filtros e análises de competência de um volume grande de currículos em uma fração do tempo que levaria aos humanos.

Outra forma de agilizar o processo de contratação é o uso de chatbots dotados de inteligência artificial. Eles podem fazer uma “pré-entrevista” com possíveis candidatos, perguntando as informações mais básicas, como histórico escolar e pretensão salarial, liberando mais tempo para os profissionais de RH fazerem entrevistas detalhadas pessoalmente.

Chatbots também podem ser usados para gerenciar o agendamento de entrevistas, testes de aptidão e outras tarefas burocráticas.

Além disso, a inteligência artificial para a seleção inicial de currículos pode eliminar o viés humano, uma vez que a máquina analisa apenas dados como experiência e habilidades, sem avaliar traços subjetivos do candidato.

A remoção do viés humano do processo de recrutamento incentiva um ambiente de trabalho inclusivo, mas deve se tomar cuidado para que o algoritmo de inteligência artificial não tenha seu próprio viés, descartando candidatos de grupos minoritários, por exemplo.

rh

2. ANÁLISE DE DESEMPENHO E RETENÇÃO DE TALENTOS

Tão importante quanto identificar talentos, a retenção de funcionários qualificados é um dos principais trabalhos das áreas de Recursos Humanos. Sistemas de inteligência artificial conseguem monitorar o desempenho dos funcionários e identificar quem está mais engajado e quem está com desempenho abaixo da média. Com isso, o sistema faz recomendações sobre quem deve receber aumentos e bônus, e quem deve ser desligado.

Um sistema criado pela IBM, por exemplo, pode prever quais funcionários deixarão um emprego com 95% de precisão. Além de prever quem está para deixar a empresa com base em dados de performance e engajamento, o sistema da IBM ainda indica aos gestores as medidas que podem tomar para evitar um pedido de demissão inesperado de funcionários que a empresa gostaria de reter.

3. AUTOMAÇÃO DE TAREFAS ADMINISTRATIVAS

Pedidos de férias, reembolsos de plano de saúde, emissão de folha de pagamento, entre outras coisas, são tarefas administrativas normalmente realizadas pelas áreas de Recursos Humanos das empresas. Economizar tempo nessas situações pode ajudar as equipes de RH a se concentrarem em áreas mais estratégicas, como na integração com os funcionários, análise de desempenho e capacitação de equipes.

Chatbots inteligentes que fazem atendimento aos funcionários, resolvendo dúvidas e fornecendo formulários que são usados com frequência, por exemplo, podem aliviar a carga de trabalho do RH. Com mais tempo livre, a equipe de Recursos Humanos pode focar em projetos mais criativos e estratégicos que podem ter um impacto maior na cultura da empresa.

Fonte: Consumidor Moderno | Postado em: 03/03/2020