Notícias

Após aumento no movimento em supermercados de SP, associação pede que consumidores não estoquem produtos


Supermercados estão mais cheios na capital

A procura pelos mercados do estado de São Paulo aumentou 8,5% nas últimas semanas, segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas). O crescimento ocorre em meio a divulgação dos novos casos de coronavírus no estado e medidas de controle para evitar contaminação.

Os itens mais procurados são álcool em gel, água sanitária e papel higiênico. Apesar do aumento, a Associação Paulista de Supermercados (Apas) pede que os consumidores não façam estoque de alimentos e diz que não há riscos de desabastecimento.

"O que o setor coloca hoje é que não há ruptura e o consumidor não deveria fazer esta estocagem. É um momento de atenção, evidentemente, porque é muito sério, e nós temos que tomar cuidados, mas o setor pede que não avancem. Não tem necessidade de correr para as lojas."

O sociólogo, Rodrigo Augusto Prando, afirma que a estocagem de produtos pode criar um efeito em escala e prejudicar toda a sociedade.

"Esse comportamento egoísta pode parecer em um primeiro momento satisfatório individualmente, mas depois a conjugação de muitos comportamentos egoístas no âmbito social, traz prejuízos para a coletividade. Então, o que hoje pode estar sendo estocado para você, pode faltar para o seu vizinho e depois para toda a sociedade. Então, há de se pensar com prudência, com racionalidade e tentar, por meio de informações sérias, fugir de fake news e teoria da conspiração."

Nota da Apas na íntegra

"Os estoques dos supermercados paulistas continuam normais segundo a Associação Paulista de Supermercados – APAS. Toda a cadeia de abastecimento (indústria e transportes) está operando com regularidade e o abastecimento está com fluxo normal.

No último fim de semana (sexta-feira, 13; sábado, 14 e domingo, 15) houve um aumento de 8,5% na frequência de alguns supermercados, em comparação com o terceiro fim de semana de fevereiro deste ano, dias 14, 15 e 16.

Os produtos mais procurados foram álcool em gel e papel higiênico. A APAS informa ainda que os supermercados estão preparados para atender à demanda e não há registro de desabastecimento nas lojas do estado de São Paulo.

A APAS esclarece que os supermercados são uma atividade essencial à sociedade e que toda a cadeia de abastecimento vem trabalhando para que os itens não faltem nas prateleiras e se mantenha um equilíbrio de preço nos pontos de vendas.

A entidade também vem acompanhando de perto a situação e instrui todos os seus associados para que sigam as recomendações do Ministério da Saúde para garantir o bem-estar de clientes, fornecedores e colaboradores em suas lojas."

Fonte: G1