08SET

SESI destina R$ 1,8 milhão a projetos voltados para saúde e segurança dos trabalhadores



O Serviço Social da Indústria (SESI) irá destinar R$ 1,8 milhão a projetos de cursos a distância que apoiem as indústrias na  gestão e capacitação de trabalhadores em saúde e segurança. O valor máximo para cada projeto é de R$ 600 mil, que devem contemplar recursos inovadores como e-learning, simuladores, jogos e realidade aumentada.

Esse é o primeiro desafio da categoria que prevê soluções digitais em saúde e segurança da nova Plataforma de Inovação para a Indústria, lançada no dia 10 de agosto, para fomentar inovações que aumentem a produtividade e competitividade da indústria brasileira. Interessados têm até o dia 18 de setembro para inscrever propostas via plataforma. A divulgação das iniciativas contempladas será em 6 de outubro.

Plataforma Inovação para Indústria: R$ 54 milhões em projetos inovadores

De acordo com Emmanuel Lacerda, gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, o primeiro desafio visa auxiliar em uma mudança cultural na gestão de saúde e segurança dos trabalhadores, que deve se tornar ainda mais estratégico no cenário pós-pandemia.

    “Capacitar gestores e trabalhadores para promover ambientes de trabalho saudáveis e estimular maior atenção de indivíduos à própria saúde são fundamentais para garantir a competitividade e produtividade dos negócios”, destaca.

Temáticas de projetos de saúde e segurança no trabalho
Entre as temáticas para os cursos online está saúde mental, ergonomia, prevenção da incapacidade e longevidade produtiva

Os projetos, que têm duração máxima de 12 meses, devem ser desenvolvidos obrigatoriamente por uma empresa de qualquer lugar do Brasil em parceria com um dos nove Centros de Inovação do SESI: economia em saúde e segurança, localizado no Ceará; prevenção de incapacidade, na Bahia; ergonomia, em Minas Gerais; higiene ocupacional, no Rio de Janeiro; estilo de vida e saúde, em São Paulo; sistemas de gestão em saúde e segurança no trabalho, em Mato Grosso do Sul; longevidade e produtividade, no Paraná; tecnologias para a saúde, em Santa Catarina; e fatores psicossociais, no Rio Grande do Sul.

Volta ao trabalho com segurança? O SESI pode ajudar

A contrapartida da empresa é 10% econômica, por meio de disponibilização de mão de obra, equipamentos e estrutura física para prova de conceito do projeto em desenvolvimento. Outras instituições que podem integrar os projetos são associações setoriais, institutos de ciência e tecnologia, startups e departamentos regionais do SESI.

Em breve, serão lançadas novas chamadas a outros tipos de desafios relacionados à saúde e segurança no trabalho, como inovações voltadas ao atendimento a requisitos legais.

Fonte: CNI | Postado em: 08/09/2020