e@bimapi

 
 
Logotipo e@bimapi
 
 

ABIMAPI registra estabilidade do setor em 2017

Prezados associados e parceiros, nós, da ABIMAPI, em parceria com a consultoria Nielsen, divulgamos no último dia 1º de março os dados referentes ao desempenho do setor em 2017. Em faturamento, nossas categorias apresentaram estabilidade na comparação com 2016 e movimentaram um total de R$ 39,252 bilhões. Em volume foram cerca de 3,5 milhões de toneladas vendidas. A pesquisa apontou, também, que as indústrias apresentaram crescimento de 34% em vendas e 4,5% em volume quando comparados os resultados dos últimos cinco anos. Os biscoitos e as massas estão presentes em 99,6% dos lares, enquanto que os pães e bolos industrializados em 76,2% e 50,7%, respectivamente.

O faturamento das indústrias de biscoitos ficou bem próximo ao de 2016, atingindo a marca dos R$24,054 bilhões. Em relação ao volume, foram vendidas 1,82 milhão de toneladas. Estes produtos não saíram do carrinho de compras, o que notamos foi que o consumidor optou por trocar os de maior valor agregado, como os recheados e cobertos, pelos básicos, no caso as rosquinhas e os do tipo maria/maisena. Em comparação aos últimos cinco anos a categoria avançou 35,3% em negócios e 6,51% em toneladas vendidas, segundo o levantamento.

O mercado de massas alimentícias movimentou R$ 8,751 bilhões. A produção nacional registrou queda de 2,87% em 2017, com o total de 1,208 milhão de toneladas. As massas secas foram as mais consumidas: conquistaram R$ 5,443 bilhões e obtiveram 989,347 mil toneladas em volume; as instantâneas alcançaram R$ 2,716 bilhões e 180,488 mil toneladas; e, por fim, a categoria de massas frescas, com R$593 milhões e 39,139 mil toneladas. De 2013 a 2017, este setor cresceu mais de 26% em vendas enquanto em volume houve um leve aumento de 0,76%.

O cenário dos chamados “pães de forma” se manteve estável, com crescimento de 0,46% em faturamento em relação a 2016, atingindo R$ 5,606 bilhões. Em volume, registrou-se queda de 4,53%, atingindo 433,911 mil toneladas no ano passado. Na comparação destes mesmos dados com os de 2013, o aumento nestes cinco anos foi de 46,37% em faturamento e 8,72% nas vendas. Em relação aos bolos industrializados, o segmento perdeu 3,16% em faturamento no ano passado, totalizando R$ 840 milhões. Este valor é 14% superior ao registrado há cinco anos. Em volume, o total de vendas em 2017 atingiu 31,880 mil toneladas, menos 7,49% em relação a 2016. Nos últimos cinco anos, o volume total de vendas do produto caiu 8,10%. Estas foram as categorias mais afetadas pela crise que apertou o bolso consumidor. Enquanto os biscoitos e as massas alimentícias são produtos que fazem parte da alimentação básica da população, os pães e bolos industrializados possuem maior valor agregado e por isso são mais caros.

É importante ressaltar que, a partir de 2016, as auditorias e base de dados Nielsen passaram por um processo de melhoria e ajustes, otimizando as informações que retratam o mercado brasileiro. As estatísticas completas já estão disponíveis no site www.abimapi.com.br.

 
Estatísticas ABIMAPI
nacional e internacional
02ª Reunião CG & A - 01MAR2018 - Apresentação
Notícias

Foz recebe o 16º Congresso Internacional das Indústrias
Brasileiro deve levar quatro anos para recuperar padrão de vida pré-crise
Associados

Oreo amplia portfólio com linha
de sorvetes

Pullman Artesano em versão integral
 
   
 

 
     
 
SIMABESP – Saiba o que aconteceu durante a 13ª Reunião do Grupo de RH Novos desafios, muitas possibilidades: legislação e prática da negociação coletiva Rumo à Indústria 4.0
 
     
     
 
Eventos
 
 




 
 
 
Facebook
 
 
Surpreenda a família com essa deliciosa torta de ricota com massa de biscoito! Saiba como a Piraquê consegue reduzir 400 toneladas de lixo por mês Que tal um doce xadrez com uma adição de Teens Max? #associadoABIMAPI