e@bimapi

Informações relevantes sobre o setor toda quarta-feira
 
 
Logotipo e@bimapi
 
 

Antes de responder esta pergunta precisamos relembrar como foi 2020 e o que este ano tão desafiador deixou de sequela para 2021.

RECAPITULANDO 2020
A pandemia trouxe um grande desequilíbrio entre oferta e demanda, fretes internacionais altíssimos, falta de insumos e o dólar atingindo patamares nunca vistos antes favorecendo as exportações, mas impactando o preço de matérias-primas obtidas do exterior.

Por outro lado, tivemos melhorias que foram fundamentais e precursoras de outras também importantes: a desburocratização, em grande parte por melhorias na legislação de comércio exterior e os incentivos governamentais dentro da importação.

Alterações como a digitalização rápida de processos facilitou a entrada e saída de produtos contribuindo para a diminuição de barreiras para o comércio exterior brasileiro.

Já a redução significativa de impostos, principalmente para importação de produtos, foi essencial para movimentar a economia e ajudar as empresas manterem-se vivas no mercado.

SPOILER 2021 – O QUE DIZEM OS ESPECIALISTAS?
Na última quarta-feira (13), realizamos o webinar “Tendências COMEX 2021”, onde reunimos alguns dos principais influenciadores da área de comércio exterior no Brasil, para um debate das principais oportunidades e comportamentos no mercado internacional.

“Com o aumento no número de casos do coronavírus a nível mundial, a projeção é que neste início de 2021 prevaleça a falta de containers e a alta do valor do frete marítimo, o que vai afetar importadores e exportadores em todo mundo. Apesar deste cenário, mudanças devem acontecer no Siscomex (Sistema de Comércio Exterior) para facilitar as operações de importação e muitos portos estão se modernizando para oferecer serviços melhores e atender navios maiores”, Leonardo Schmidt, Sócio-Diretor da Interfreight e fundador da comunidade Comex 360°.

“Ainda observamos um extremo desequilíbrio entre oferta versus demanda a nível mundial, principalmente porque a China (grande fornecedor mundial), não está dando conta de atender toda sa procura, gerando uma crise de suprimentos em diversos países”, Nathalia Amorim, responsável pela comunidade Comex na Prática.

“As soluções tecnológicas continuarão alavancando a produtividade das empresas e simplificando procedimentos. Diante disso, as empresas de Comércio Exterior devem gerenciar ainda mais seus processos, além de reduzir custos internos”, Marcelo Viana, fundador e diretor MVPB Logística, responsável pela comunidade Minuto Comex.

“Na importação, o governo dá sinais de que irá retirar a capatazia (serviços de carga, descarga e manuseio de mercadorias) da base de cálculo do valor aduaneiro das mercadorias, o que deve ajudar bastante”, Carlos Eduardo, CEO e fundador da LogAduaneira Assessoria Logística, responsável pela comunidade ComexBlog.

Nosso próximo encontro será na quinta-feira (21) com o webinar “Novos Mercados para Exportação”, com a participação CCBC (Câmara de Comércio Brasil-Canadá) e Câmara de Comércio Afro-Brasileira (AfroChamber), acompanhe nossa página de exportação no Linkedin para mais informações e inscreva-se.

 

 
Notícias
Mudanças nos hábitos alimentares trazem oportunidades para o setor
 
Desaceleração do varejo foi puxada por supermercados, diz Tendências
 
Associados
Conheça os lançamentos
da Piraquê
Vitarella apresenta novidades em suas linhas de biscoitos
 

 

 
   
 

 
     
 
Confiança do empresário industrial brasileiro recua em janeiro Vacinação em massa é fundamental para a retomada da atividade econômica Voltar ao trabalho presencial: veja direitos e deveres de funcionários e empregadores
 
     
     
     
 
Eventos
 
 


 

 

 
 
Redes Sociais e Novidades
 
 
Afinal, Carnaval é feriado
ou ponto facultativo?
Já conferiu o primeiro dia das “Quintas Tecnológicas”? Acesse nosso canal no Youtube! ABIMAPI na mídia: associação destaca para Valor Econômico panorama de vendas dos pães industrializados