Nossos Releases

Conheça o impacto do tabelamento do frete na indústria paulista

De acordo com a pesquisa realizada pela FIESP sobre o impacto da tabela de preços mínimos do frete sobre a indústria paulista tornou-se necessária e urgente a divulgação destes dados para que se reveja a decisão equivocada de tabelamento de frete no Brasil.
 
A seguir, os principais pontos a serem observados:
1) R$ 3,3 bilhões de gasto adicional com frete  é o impacto do tabelamento  do frete sobre a indústria paulista entre os meses de junho a dezembro de 2018, o que representa um aumento de 19,8% no gasto com frete, segundo estimativa das empresas consultadas pela pesquisa Rumos da Indústria Paulista.

2) Se a tabela de preços mínimos do frete for mantida, 55,3% das empresas pretendem repassar, integralmente ou parcialmente, o aumento do frete para o preço do produto.

3) Esse repasse já é percebido pelas empresas pesquisadas, pois metade delas (50,1%) sentiu aumento do preço de insumos quando o valor do frete é pago pelo fornecedor. O impacto foi de 2,0% sobre o gasto com insumo das empresas.

4) Dessa forma, 24,5% das empresas projetam redução das vendas de seus produtos devido ao aumento do custo com frete. O impacto sobre as vendas representa uma queda de 1,7%.

5) E, para essa queda não ser ainda maior, 14,2% das empresas precisaram dar desconto no valor de seus produtos quando o frete é pago pelo cliente. O desconto representou 0,5% sobre as vendas empresas.

6) A maioria das indústrias paulistas está sujeita a sofrer impacto do tabelamento do preço mínimo do frete, pois 59,5% das empresas pesquisadas não possuem frota própria para coleta ou entrega de produtos. E, das 39,1% que possuem frota própria, apenas 28,2% afirmaram que sua frota atende totalmente a necessidade de frete da empresa.

Acesse aqui o resultado completo da pesquisa.
Acesse aqui a reportagem da Globonews que repercutiu o impacto do tabelamento do frete sobre a indústria, com consequências sobre a economia como um todo.