Nossos Releases

ABIMAPI e Global Junior realizam estudo sobre os principais países concorrentes do Brasil no setor alimentício

O time de exportação da ABIMAPI (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados), em parceria com a equipe de projetos da Global Júnior – programa de extensão do curso de Relações Internacionais da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) – desenvolveu uma pesquisa de Benchmarking, com o intuito de identificar os principais países concorrentes do Brasil de acordo com o setor representado pela entidade.

Os tópicos abordados no estudo avaliaram: priorização de mercado; perfil internacional; políticas públicas; análises de concorrência; fatores principais de competitividade, entre outros. De acordo com a análise, as categorias ABIMAPI movimentaram no país, entre 2015 e 2017, cerca de US$ 90 milhões em importações, tendo como principais mercados Itália, Bélgica e Polônia. Já em relação às exportações, no mesmo período, foram de US$ 113,2 milhões, com destinos como os EUA, Paraguai e Uruguai.

Outro ponto importante foi a análise de incentivos fiscais, que muitas vezes pode colocar em risco as operações internacionais devido às barreiras tarifárias e a volatilidade do câmbio. Entre as desonerações tarifárias, a Turquia, por exemplo, possui taxas alfandegárias nulas para produtos feitos à base de trigo e licenças especiais de importação com imposto corporativo reduzido. Já a Itália possui Isenções de impostos aduaneiros e de qualquer impedimento à importação ou exportação intrabloco e as tarifas são reguladas, majoritariamente, pela União Europeia. No caso da Índia, o país participa do programa de recompensa monetária aos exportadores, benefício recebido para ser utilizado em pagamentos de impostos e taxas relacionados ao comércio internacional.

O estudo constatou, também, que embora a Itália seja um concorrente histórico do Brasil no comércio internacional do segmento da ABIMAPI, a Índia e a Turquia têm surpreendido ao ganharem espaço e acirrarem a concorrência no setor. Esses países exportaram US$ 335 milhões e US$ 1,3 bilhão, respectivamente, justamente pelos incentivos governamentais e subsídios de agências nacionais de fomento à exportação.

De acordo com Rodrigo Iglesias, diretor da área internacional da ABIMAPI, quando entramos no universo da competição entre empresas, o benchmarking é uma ferramenta valiosa. "A parceria com a Global Jr da ESPM nos trouxe conhecimento para compreendermos nossa situação atual no mercado global frente aos principais países e empresas concorrentes em nossas categorias exportadoras. São informações estratégicas para que possamos considerar como melhor posicionar nosso setor no exterior e, sem dúvida, esses insumos serão valiosos para o desenvolvimento de ações de competitividade a curto e longo prazo", conclui.

O estudo foi elaborado com exclusividade para a ABIMAPI e apresentado em reunião aos associados da entidade em outubro.